O Elogio na Ofensa

Izabel MelloCauê Bocchi, NOVO, NOVO FUTURO6 Comments

Parte da mídia não parece muito feliz com o NOVO. Melhor dizendo: parte da mídia está com medo do NOVO.

Para começar, vale mencionar a notícia do portal de notícia Brasil 247, veiculada no dia 21 de abril pelo colunista Renato Rovai. Segundo o colunista, o fato do até então Secretário-Adjunto da Secretaria de Assistência Social, Filipe Sabará, ter assumido a secretaria após a recente saída de Soninha Francine é sinal de que uma grande conspiração da direita está em curso, cujo objetivo seria fazer de Dória o candidato à presidência pelo NOVO em 2018. Talvez seja realmente incompreensível ao colunista o fato de um secretário assumir um cargo porque é competente, porque trabalha de segunda a segunda, e porque tem um histórico e postura irrepreensível que o habilitam para o cargo. Jornalista com ranço de política de compadrio é assim: se virou secretário, ministro, etc., é porque tem maracutaia envolvida. Talvez o Renato não saiba – ou tenha oportunamente esquecido de mencionar – que o NOVO sequer fez parte da coligação que elegeu o João Dória prefeito de São Paulo.

Ainda sobre a notícia do Brasil 247, o Renato diz que o NOVO seria uma nova versão do PRN, partido que elegeu Fernando Collor à presidência. Só faltou o colunista esclarecer em qual parte o NOVO se parece com o PRN. Melhor ainda, faltou esclarecer em qual ponto o NOVO se assemelha com qualquer um dos outros 34 partidos existentes. Com certeza não é na questão do uso do fundo partidário, já que o NOVO é o único partido que não utiliza dinheiro público. Com certeza também não é na proibição de políticos eleitos pelo NOVO ocuparem cargos em diretórios, já que o NOVO é o único partido no qual essa proibição existe. Não é também, por fim, no fato do NOVO ser o único partido cujo propósito é tirar o poder da mão dos políticos e devolver à sociedade, exatamente o oposto de todos os outros partidos existentes. Pois é, Renato, somos NOVO no nome, e novos na forma de fazer política: é melhor que você se acostume, e assim quem sabe não preste novamente um desserviço aos seus infortunados leitores.

A segunda notícia vem de um velho conhecido: Ancelmo Gois publicou matéria no dia 23 de abril em seu blog no O Globo criticando a supostamente repentina filiação de Bernardinho ao NOVO. Disse também que o NOVO foi criado na PUC, e que o Rodrigo Constantino – presidente do Instituto Liberal – seria um dos dirigentes do partido. O colunista foi capaz da rara proeza de contar 3 mentiras em somente 4 linhas de notícia: o NOVO não nasceu na PUC (e se tivesse nascido, qual seria o problema?); o Rodrigo Constantino é um dos mais de 10 mil filiados no NOVO, mas não faz parte da direção do partido (e se fizesse, qual seria o problema?), e a chegada do Bernardinho ao NOVO ocorreu já em 2016 (e se tivesse sido ontem, qual seria o problema?). Com o noticiário político tão intenso, Ancelmo Goes parece que gosta de pegar fatos antigos e requentá-los com a pretensão de novidade. Além disso, parece que ele considera ilegítimo o fato de Bernardinho ter trocado o PSDB pelo NOVO. Talvez ele possa nos esclarecer um qual parte da legislação eleitoral está escrito que a filiação partidária, uma vez feita, jamais pode ser desfeita. Talvez liberdade não seja o forte do colunista: isso explicaria porque ele não gosta do NOVO.

Apesar de todas as mentiras e desinformações, o NOVO não pode deixar de comemorar: ser criticado por colunistas como Renato Rovai e Ancelmo Goes é sinal inequívoco de que estamos no caminho certo. A ofensa deles é o nosso maior elogio.

 

Por Cauê Bocchi, filiado do NOVO e coordenador do NOVO FUTURO

fake news

6 Comments on “O Elogio na Ofensa”

  1. Muito bom o NOVO sempre colocar “oficialmente” sua posição. Isso dá um “norte” aos filiados e apoiadores, evitando que a boataria se propague.

    Uma correção necessária: o Partido do Colorado à época era o PRN.

  2. Venho acompanhando o NOVO e até o momento dá muita esperança que realmente algo NOVO chegou. Para os que não conhecem, acompanhem os posicionamentos de Leandro Lyra como vereador do Rio de Janeiro. Sou de SP, mas toda vez que vejo os posicionamentos dele claramente pró mercado fico feliz. Obrigado a todos vocês pelo trabalho duro que estão fazendo!

  3. Tudo que é “NOVO” incomoda mesmo. Incomoda o velho modelo e parte da imprensa acostumada com eles. Há sim, acabei de solicitar minha filiação ao NOVO, só por causa disso.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *